quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Poema matinal e fragmentado



Orientada por uma amiga, 
Luíza trocou cerveja por café
"É melhor pra você parar de pé"
e decidiu ir levando a vida

A primeira sensação foi amarga
Havia se esquecido de adoçar
"Já faz tempo, como ia lembrar?"
Virou o copo todo e deu descarga

Tentou outra vez na manhã seguinte, 
E não aguentou tomar nem com leite
"Mais que bebiba ruim do cacete"
Só foi terminar lá pelas 11:20

No terceiro dia foi menos pior
Tinha a reunião do testamento
"Vou acabar de vez com esse tormento"
E bebeu tudo num gole só

Mas à noite não se conteve
E pegou a cerveja na geladeira
"Essa vida só pode ser brincadeira"
Tirou a aliança e jogou no tapete

De madrugada, ela não aguentou
E teve que tomar remédio pra dormir
"Por que é tão breve o existir?"
Deitou, dormiu e também não acordou

10 comentários:

  1. Oi, Andressa, que poema interessante, foi você mesma que fez? Se sim, parabéns. Espero que tenhas sucesso na vida de escritora/poetisa e que não desista, tu escreves bem. :) Parabéns!!!

    http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Adorei o poema, queria conseguir escrever assim, mas quando tento passar para o papel nunca sai nada, fica só na cabeça mesmo.
    Parabéns.

    http://follow-and-breath.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Andressa!
    Gostei da estrutura de sua poesia e das rimas interessantes. Tenho de concordar com sua personagem, café também não é pra mim! haha

    ResponderExcluir
  4. Oi, Andressa!
    Rápida identificação por também não gostar nadinha de café, haha. Identificações à parte, interessante a estrutura do poema, com um desfecho bem inesperado. Eu também costumava escrever poemas antigamente, mas hoje em dia foco mais em histórias romanceadas mesmo, acho que perdi um pouco a linha dos poemas, mas muito legal o seu, parabéns por escrever tão bem, com tanta sutileza e leveza!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br/ ♥

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Foi você que escreveu? Se sim, parabéns. Não sou muito fã de poemas, mas desse eu gostei, esse lance mais narrado funciona melhor comigo.
    Sucesso, beijos!!


    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Confesso que não tenho o hábito de ler poesia e nem entendo muito do assunto, mas gostei dessa que nos apresentou e achei o desfecho bem intrigante!
    Sou apaixonada por café! rsrs

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Andressa, sua linda, tudo bem?
    Que final foi esse??? Juro que não esperava. Você me pegou de surpresa. Às vezes não sabemos o quanto a pessoa está sofrendo, o que parecia ser apenas uma pessoa lutando para largar a bebida, era alguém sozinha, que não suportou uma perda. Parabéns pelo texto!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá Andressa, tudo bem?

    Eu também escrevia, só que ao contrário de você, prefiro os contos. Acho que tudo flui mais rápido e posso utilizar a imaginação a meu favor.

    Parabéns pelo dom

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo poema!
    No Literakaos temos uma com esse dom maravilhoso da escrita também!
    Parabéns!!

    Ana
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá! Adorei o poema! Amo quanto o poeta faz esse jogo de palavras (como o amargo sabor do café e a amarga sensação que a vida pode trazer). Adorei as rimas e o final triste, inesperado! Parabéns! Você tem futuro!
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir