domingo, 12 de agosto de 2012

Um brinde


Brindemos, senhores!
Ah, não deixemos de brindar!
Brindemos nossa ignorância,
mas antes brindemos nossa inércia...
Brindemos também nossa indiferença.
Ah, brindemos sim!
Brindemos nossa apatia e nosso individualismo,
esse amigo fiel. Um brinde a ele não pode faltar!
Brindemos nossos constantes 'a culpa é sua'.
Aproveitemos e brindemos nosso ' se vira sozinho'...
Brindemos porque, talvez assim, bêbados,
nossos brindes façam sentido.
E vamos todos nos aplaudir.