sexta-feira, 28 de maio de 2010

Métodos de Estudo

É certo que na cabeça de muitos jovens há o impasse em relação ao futuro. Decisões precisam ser tomadas e, esse ano, pra muitos, é ano de vestibular e ENEM. A estrutura desse último mudou, como deve ser de conhecimento de grande parte dos interessados, e passou a ser mais exigente pois, além da leitura atenciosa cobrará também a bagagem de conhecimentos adquiridos durante o Ensino Médio. Sabemos, no entanto, que o ensino público é muito defasado e não supre o conteúdo exigido em avaliações e exames decisivos, como o ENEM.

Para lidar com isso, muitos estudam por fora e correm atrás de cursinhos pré-vestibular ou professores particulares. Outros, sem tantos recursos, partem pra bibliotecas públicas, parques ou locais sossegados para estudar e correr atrás do prejuízo.

Fica então, nesse meu post, algumas dicas de estudo. Espero que vocês gostem:


Vídeos da internet


Para aqueles que não têm tanta facilidade em estudar por conta própria e precisam de uma explicação para entenderem o conteúdo essa é uma boa dica. Busque no youtube por vídeos explicativos, por exemplo, sistema respiratório, trigonometria, meiose etc. Leia o conteúdo em algum livro e depois parta para explicações diferentes. Veja vários vídeos sobre o mesmo assunto e peça para alguma pessoa (professor, pai, amigo) te indicar algum vídeo que te ajude no tema que você pretende estudar.


Sites

Sim, busque informações em sites sérios que têm o intuito de te ajudar. Leia o conteúdo, busque por exercícios para que você mesmo possa resolver. Busque também por exercícios comentados, assim você pode perceber em quais termos você precisa complementar sua resposta e, desse modo, adquirir o conhecimento por completo. Algumas dicas são:

Dentre outros. Pesquise no google sobre um site para a matéria que você pretende estudar. Não esqueça de verificar se é um site seguro!


Curso Preparatório do ENEM e Atualidades (Guia do Estudante)

Os livros do Curso Preparatório são em 20 volumes, eles cobrem toda a carga curricular exigida no ENEM. Esse curso foi criado por professores qualificados que lecionam nas melhores escolas brasileiras. Há muita intertextualidade e os temas são esclarecidos de forma interessante e criativa. Vale a pena!
Já o Atualidades traz à discussão temas atuais, dicas sobre redação e muitas coisas que fazem a diferença na hora de realizar a prova. Ambos estão à venda nas bancas.


Mapas Mentais, Resumos-Esquemáticos, Fichas-Resumo...

Essas são técnicas para deixar resumido aquilo que é de extrema importância. Assim, você não precisa revisar todo o conteúdo novamente, basta dar uma olhadela nos resumos antes de dormir para que tudo fique sempre na cabeça e faça parte daquilo que você precisa ter na mente.


Visual, Auditivo ou Cinestésico?

Faça um teste para descobrir de qual modo você aprende mais: pela visão, pelo que você ouve ou por aquilo que você se vê envolvido e participa. Explore seu lado forte e estude baseando-se nesse lado, esse método vai te ajudar a ter fixado na mente o conteúdo que você necessitará. No próximo post eu disponibilizo o teste no blog.


Paródias

Sim, estude o conteúdo por músicas. Invente suas próprias paródias ou pegue na internet: há muitas no youtube e são bem feitas. A música tende a ficar gravada na mente. Substitua a letra normal por aquela com o conteúdo do tema. Se você é auditivo essa é uma opção muito, muito boa. Para quem gosta de música também é.


Interaja com seu conteúdo 24 horas

Assista filmes sobre os temas estudados, cole lembretes pela casa. Se estiver aprendendo inglês, cole papéis nos objetos com o nome correspondente em inglês. Se for química, realize experiências que te façam recordar o tema facilmente. Vá à museus, faça parte de grupos de estudos, leia e... durma bem todas as noites, pois o cérebro processa as informações recebidas durante o dia pela noite. No sono é que ele decide o que vai pra memória permanente e o que é deletado. Então, se interesse pelo tema, pois profissionais indicam que você tende a aprender mais facilmente aquilo que te interessa. Repita, repita e repita. Revise os conteúdos (com fichas-resumo) pois nosso cérebro aprende por repetição.
.
.
.
Ficam aí as dicas. Se você quiser algum resultado, ponha algumas delas em prática. Pois, como disse alguém, a sorte acontece quando a preparação encontra oportunidade. Então, se prepare e faça sua sorte nesse vestibular!

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Jeitinho Brasileiro...


Bom, não pense você que é algo muito longe, distante da sua realidade. Você se sente tentado por ele nas filas longas, quando está prestes a ser denunciado por alguém ou até quando quer "agilizar" umas coisinhas necessárias. Há jeitinhos e jeitinhos. Há aqueles que consideramos inofensivos e outros que condenamos. E, quem quiser trazer à memória um exemplo deste último, vale citar os desvios de donativos doados à Santa Catarina quando esta sofreu violentas enchentes.

O famoso "jeitinho brasileiro" não ousou ausentar-se de um momento importante da história do Brasil. Quem já não ouviu falar em Marechal Deodoro da Fonseca? Primeiro presidente da recém proclamada República que também sofreu por esse hábito nacional. Na tentativa de industrializar o Brasil, permitiu a "fabricação de dinheiro" pelos bancos, com a finalidade de emprestar aos interessados em iniciar o processo em solo nacional. E quem disse que deu certo? O resultado foi uma inflação louca pois, na verdade, o povo usou do "jeitinho" pra tirar proveito da situação. Você pode pensar: nossa, desde lá? Pois é. Mas vamos, antes de mais nada, às origens.

Bom, dizem as más línguas que o famoso "jeitinho" nada mais é que um presente trazido pelos portugueses. Consta na carta de Pero Vaz de Caminha muita adulação, toma-lá-dá-cá, nepotismo e até falsidade ideológica. A carta não faz menção alguma a tal "tempestade" que desviou a rota dos navios portugueses, então, como o povo pioneiro nas navegações, naquele século, se deixou desviar da sua rota às Índias? O que trouxe uma nação tão experiente em alto mar justamente pr'aqui, Brasil, se a tal tempestade não é citada em documentos históricos da época e nem no primeiro documento oficial do Brasil? O que os trouxe aqui numa época onde não se navegava mais sem uma rota estabelecida antes do levantar das âncoras? O quê? Mas, continuando...

Chegando aqui, portugueses encontram o cenário ideal para o tipo de sujeito que Sérgio Buarque de Holanda descreve como o Aventureiro. Esse era o tipo que sacia-se com o novo, o desconhecido, os grandes feitos, aquele que quer colher o fruto sem plantar a árvore. A época das grandes navegações era o período histórico ideal para a atuação desse tipo; o Brasil, o cenário perfeito: caloroso, amistoso, "desconhecido"... Sendo assim, o Trabalhador não teve participação muito ativa ao chegar aqui, pois esse era do perfil que funcionava quando havia rigidez e ordens a serem cumpridas. Se bem que, escrito dessa forma, até eu queria ser Aventureira.

Pra acentuar tudo isso, vêm nossas leis que, ao invés de conciliar o hábito diário do povo com as ordens que devemos cumprir como participantes de sociedade, estão mais para reinventar essa sociedade colocando-a, aos olhos da lei, como ideal, perfeita. Nunca a alcançamos. E, do jeito que o bonde anda, nunca a alcançaremos. Prática e teoria são muito, muito diferentes e isso só facilita o modo como se forma a cada dia jeitinhos e jeitinhos para driblar a lei instituída.

Não somos perfeitos...
.
.
.
Mas não podemos usar sempre a frase "mas quem é?" para nos safarmos de uma solução.